Hipátia/Ilustração
Hipátia/Ilustração
ALERTA VERMELHO – Costa Litorânea – DE 22/12/2017 à 06/01/2018

Nota de Hipátia: Não estou postando essa matéria com fins de causar pânico em ninguém, mas meramente por uma questão de consciência. Espero no fundo de meu ser, que nada realmente aconteça de desastroso em nosso Brasil e no Mundo! Mas, se ocorrer e nada eu tiver dito, minha consciência jamais me perdoará!

Dizem os entendidos que as profecias servem como “Sinais” com fins de se evitar possíveis tragédias, e não necessariamente para serem cumpridas! Eu, particularmente, concordo inteiramente com isso! Até porque os ditados já dizem que “pior cego é aquele que não quer enxergar”, e “pior surdo é aquele que não quer ouvir”!

Evidente que cada qual tem suas crenças, bem como seu livre arbítrio, que o permite escolher os caminhos a percorrer. Só que possuímos dois “livre-arbítrios” e eu explico porque digo isso. No meu modo de ver as coisas, como espiritualista que sou e adepta dos processos reencarnatórios, creio que quando fazemos nosso “passamento” (morte do corpo físico e desprendimento do corpo anímico), realizamos determinadas etapas na dimensão astral da Terra, até ocorrer a próxima reencarnação. E uma dessas etapas de nossas “entrevidas”, é justamente quando já despertamos o suficiente e com consciência, para analisarmos o que estávamos destinados a cumprir nas encarnações passadas, obtendo um balanço do que ainda precisamos fazer, com fins de conseguirmos nossa ascensão espiritual para um novo patamar dimensional. E aí, então, fazemos uma nova “programação de vida” para essa próxima viagem de nossa alma. Eis aqui o que se chama de “livre arbítrio da consciência superior”, ou seja, uma escolha de nosso “Eu Superior”, que possui a sapiência de nossa Mônada (ou espírito), por ser nosso ponto de ligação desta(e) com nosso “raio anímico” (parte de nossa Mônada que reencarna).

Essa “viagem” tem, geralmente, passagem de vinda e ida com hora marcada. É como se diz no senso comum que “cada um tem sua hora certa de ir embora”. Entretanto, a existência de um outro “livre-arbítrio da nossa consciência inferior” (nossa alma em fase de novas aprendizagens e por isso com a necessidade de “esquecimento”), muitas vezes nos leva a tomar caminhos diferentes daqueles que programamos em nossa “entrevida”. E é a isso que denominamos “carma”, ou seja, algo que viemos para cumprir e nos desviamos do caminho, seja por “n” motivos, tais como interesses, paixões, crenças adquiridas, comodismos, egoísmos e tantos outros. Sendo assim, se anteciparmos nossa partida por algum desses motivos, ficamos com pendências de tudo que deixamos de realizar nesta vida, transferindo para a próxima reencarnação.

Toda essa explicação acima, para muitos um assunto aceito e conhecido. Porém, para outros, complexos, inaceitos ou até mesmo desconhecidos. Mas, necessários para o despertamento consciencial e, aqui neste artigo especificamente, a explicação acima foi colocada em evidencia, pelo fato do “tema” tratar de algo previsto por tantos paranormais videntes e estudiosos de astronomia mística, dignos de credibilidade, mediante acertos de grande maioria de suas previsões! Entretanto, a credibilidade ou não nas palavras dessas pessoas, é que irá definir os passos e o destino de cada um, caso essas “profecias” venham realmente a ocorrer!

Citando alguns desses videntes atuais, temos “Carlinhos Vidente”, “Médium Gheorge Robson”, “Médium cego e missionário Reginaldo Cardoso”, o nosso saudoso “Chico Xavier” e tantos outros paranormais e místicos, isso sem contarmos com o incrível “médico e vidente Nostradamus” que nos deixou o legado de suas centúrias há mais de 500 anos atrás, tantas delas devidamente comprovadas com o passar das eras. Uma pequena busca no Google e YouTube e os leitores encontrarão todos esses nomes e mais uma gama de videntes e pesquisadores, todos falando do mesmo assunto: “a subida dos mares”!

Além dos videntes, ainda temos sites e bloggers de pesquisadores que falam do mesmo assunto, sem contar que na Bíblia Sagrada também existem citações “onde as pessoas ficarão perplexas diante do bramido do mar e das ondas”.

Lembro-me de ter assistido em fita cassete uma palestra do contatado, escritor e ufólogo místico Trigueirinho, isto no fim da década de 80 ou início de 90, na qual ele dizia algo como: “Quando o mar começar a recuar e as pessoas poderem andar em seu leito onde antes havia água, chegou a hora dos moradores do litoral começarem a se preparar para ir para locais mais altos, como as montanhas e planaltos. Isso porque chegará o momento em que as águas subirão de tal forma que irá destruir toda orla marítima, incluindo a do Brasil”. Lembro-me dele ainda dizer que: “o recuo será lento, mas o avanço será muito rápido”. E que, entre uma coisa e outra, os moradores teriam tempo de se organizar para deixar o litoral, mas não poderiam esperar muito, achando que nada iria acontecer, pois seriam pegos de surpresa! E ele ainda insistia muito em dizer: “Olhem os sinais!”

Ora! Atenção para “os Sinais”, então! Tivemos a oportunidade de vermos no mês de agosto/2017, a retração das marés que pegou grande parte do litoral brasileiro, indo até o Uruguai. Uma retração tão significativa que assustou os moradores da costa litorânea, com receio de um provável tsunami no retorno das águas, já que houveram lugares em que, por quilômetros, podia ser visto o fundo do mar e até caminhar sobre ele; navios naufragados há anos, apareceram; um fenômeno incrível e ao mesmo tempo assustador!

Teriam esses fenômenos realmente sido causados por fortes ventos, como os serviços meteorológicos fizeram questão de afirmar? Será que podemos confiar nesses serviços pagos por governos que tanto nos ocultam a realidade dos fatos, num “processo de acobertamento” sem precedências, isso quando não nos impõem mentiras escabrosas, sempre com a “bondosa intenção” desacreditada por muitos, de que não contam a verdade para não causar pânico na população? Não teriam esses acobertamentos a real intenção de tantos outros projetos, com fins de “redução populacional”, conforme as “inscrições das Pedras da Geórgia” por exemplo? Pois convenhamos que, se as águas dos mares subirem repentinamente, muitos de nossos irmãos perecerão com certeza!

Outrossim, não seriam essas “retrações marítimas” advindas de “Raios Haarp”?  E isso não seria um prenúncio do que esses raios poderão causar a seguir, com o aumento igualmente significativo do nível do mar nas costas litorâneas? (Ver: “TV RECORD – a primeira a ter coragem de divulgar a HAARP”:  https://www.youtube.com/watch?v=uqSe6RsLPGY  – e “A VERDADE SOBRE O RECUO DO MAR”:  https://www.youtube.com/watch?v=6LmC7kKm5q4) – busquem o assunto, pesquisem!

E para finalizar esse artigo, gostaria de citar uma conversa com um grande amigo, pessoa confiável em seus relatos de contatado, ufólogo místico com profundos estudos de astronomia, palestrante em várias partes do Brasil sobre a Teoria Fotonica, o qual me disse o que tentarei descrever com a maior fidedignidade: “A retração dos mares não ocorreu devido a ventos simplesmente, mas até esses ventos ocorreram por efeito de “Distúrbios Magnéticos” que atingiram a nossa Terra. A aproximação do nosso Sistema Solar do Cinturão de Fótons de Alcyon (o que ele explica com tamanha precisão, quebrando leis da física cientifica e através da física quântica), é que está causando esses distúrbios em nosso sol e, consequentemente, atingindo o planeta e influenciando o clima e o mar (realmente, as explosões em nosso Astro Rei nestes últimos tempos têm sido aterrorizantes, mexendo significativamente com a nossa ionosfera! Pesquisem!). A retração das marés à nível vertical chegou a 7 (sete) metros de altura! O retorno foi suave, com algumas ressacas. Mas, a subida das mesmas serão mais rápidas, e quando isso começar, haverá muito pouco tempo para fugir-se da invasão das águas (as mesmas palavras de Trigueirinho há alguns anos atrás!). A Terra, daqui para frente, está entrando em “Alerta Vermelho” nos finais de ano, que é a época de maior proximidade com o Cinturão de Fótons; depois, há o afastamento, porém cada vez menor, até que chegará o momento mais drástico, que será a sua entrada definitiva nesse Cinturão, permanecendo aí por um bom tempo (não entrarei em pormenores dessa teoria, para não fugir do tema proposto).  Como não acredito em coincidências, fiquei preocupado com as datas dos videntes que bateram com os estudos de astronomia que me levaram a acreditar numa possível “subida dos mares” no período de 22/12/2017 à 06/01/2018. Daí meu “Alerta Vermelho” para esse período! E digo mais: quem puder sair do litoral nesses dias, saia! Não se trata de ocorrência de um “tsunami”, nem uma “grande onda” e muito menos de uma “queda de asteroide”. Mas, sim, volto a repetir, de “Distúrbios Magnéticos”, impossíveis de serem medidos antes de acontecerem! A emissão desses distúrbios pelo sol, alcançarão em poucas horas nosso planeta, e os avisos pelos órgãos governamentais chegarão tarde para uma fuga em massa!  Portanto, quem puder sair, ou não ir para o litoral nessa data, seria de bom termo fazê-lo. Não sou guru, isso não é uma profecia, mas resultado de estudos de astronomia e pesquisas no assunto que podem ou não acontecer! Tomara que não aconteça! Ou se ocorrer, que seja numa proporção pouca que não causem grandes catástrofes! É o que peço a Deus”.

Nossa conversa foi por telefone. Estarei com meu amigo no início da semana que entra. Se houverem maiores informações, voltarei a colocar aqui no Guia Místico.

 

PAZ EM TODOS OS QUADRANTES!

Alto Paraíso de Goiás, 09 de dezembro de 2017

Hipátia III

Facebook

Publicidade

Mais uma distopia referente à “redução populacional”, o filme O PREÇO DO AMANHÃ mostra que a maioria da população (os pobres) devem morrer; enquanto que uma minoria (os ricos) devem dominar o sistema financeiro e a civilização como um todo!

Uma sociedade distópica, onde comida, dinheiro, sexo, drogas e diversões são os pontos altos, só que isso pode durar até os 30 anos de idade. Após isso o indivíduo deixa de existir. “Redução Populacional”?

Será “ficção” ou uma “projeção” para uma realidade futura? Verdade é que trata-se de um filme de “redução populacional” de forma chocante, com enganos e mentiras de um regime duro, impiedoso e ditatorial. Situação que parece não estar muito além de nossa realidade. Até porque a “câmara mortuária” do filme se parece muito com a recente “cápsula do suicídio” (ver artigo nesse site!)